O mau humor infantil! Como ajudar seu filho?

 

O mau humor faz parte das alterações que demonstram que a criança está crescendo.

O tempo passa para todos. A criança que há pouco tempo era um bebê, hoje já não usa fraldas, já fala de temas variados e seu comportamento experimenta mudanças, dia-a-dia. Antes se despertava e se expressava com mais alegria, com mais disposição, e agora parece experimentar mais momentos de aborrecimentos, de chateações e de mau humor.Os pais que vêem essas mudanças em seus filhos pela primeira vez, não devem se assustar. São alterações que demonstram que a criança está crescendo.Haverá em todo caso, casos que superam os limites da paciência, mas deve-se manter a calma, com a certeza que todos somos capazes de controlar a situação, tirar o mau humor, e então, estimular a alegria, o autocontrole, e o bem-estar em nossos filhos.

Muitos pais se queixam nos falando que seu filho, nos primeiros anos de vida, era terno e educado, mas que agora, tem dias que se expressa de uma maneira muito pesada, incontrolável, sem paciência, e com mais resistência. E eles se perguntam onde erraram. Tranquilos. O mau humor das crianças fazem parte do seu desenvolvimento. Algumas crianças, ainda que tenham dormido o suficiente, podem ser que despertem com de má vontade, e que deixem seus pais loucos na tentativa de animá-los para ir ao colégio, por exemplo. Cada criança é um mundo e cada uma tem um ritmo diferente.

Quando não apresentam dificuldades para começar o dia, é quase certo que o fará em outros momentos. Pode ser que sejam mais teimosas na hora de se vestir, ou que discutam sobre a comida, de como guardaram suas coisas, etc.

O porque do mau humor infantil

O mau humor das crianças pode ter muitas causas. Além de um mal despertar, a criança pode estar vivendo experiências como o medo, os conflitos entre amigos, ter dificuldade na aprendizagem, ou simplesmente não se sente bem sobre tudo, por alguma razão que possa estar relacionada com a saúde, com a relação com seus pais, com alguma frustração, etc. As várias mudanças impostas pelo crescimento, pelo desenvolvimento da personalidade e pela conquista de espaços de indepedência são fatores pelos quais as crianças se aborrecem, e se comportam de maneira negativa. As mudanças as desestabilizam. A nova etapa requer que se superem, e elas não têm a mínima idéia de como fazê-lo. É muito difícil crescer, segundo os psicólogos.

Aproximadamente aos dois anos de idade, muitas crianças manifestam rebeldia através das conhecidas birras. Qualquer NÃO de seus pais é motivo de frustração para a criança, que se sente levada a expressar sua não aceitação atirando-se ao chão, com gritos, choros, etc. A etapa de 5 e 7 anos de idade, é um período caracterizado por uma mudança de comportamento. Alguns psicólogos a chamam de adolescência da primeira infância. Nesta fase, existem alterações físicas, psíquicas e sociais. A criança experimenta barreiras rumo ao mundo adulto, o que faz com que seu humor seja mais instável.

Hoje em dia, a partir dos 7 ou 8 anos, as crianças já expressam com muito mais clareza o que querem, e o que pensam, e além disso, o que sentem. Questionarão e repudiarão o que não gostam, e os pais têm que encontrar fórmulas para controlar a situação. Por exemplo, se a criança tem que se levantar às 7 da manhã e ela necessita de mais tempo para ganhar ritmo, em lugar de insistir que se levante de imediato, o melhor é dar-lhe mais tempo, despertando-a uns 10 minutos antes das 7, para que ela possa reagir de maneira melhor ao despertar-se. Nesses momentos, estimule a criança com carinhos e anime-a com palavras doces, que darão um bom resultado. O importante é não criar um hábito de discussão dia após dia, na primeira hora da manhã. Com o tempo, este momento se converteria em um poço de estresse.

A partir dos 8 ou 9 anos de idade, a rebeldia volte ao dia-a-dia das crianças. Nesta idade as crianças esperam respostas e que todos seus desejos sejam atendidos na hora. Essa postura pode durar até o final da puberdade.

Os motivos do mau humor

Seja qual for a razão, o ideal é não deixar que o mau humor se extenda. Fale com seu filho, demonstre que você não tem culpa do que tem acontecido, mas que ele pode contar contigo. A palavra chave é paciência. Calma para educar, argumentar, e compreender o que está ocorrendo.

Os pais devem traduzir os momentos de mau humor dos seus filhos como ocasiões para educar e encontrar opções e superar suas frustrações. É desesperador, em mutas ocasiões, mas não se pode ignorar que esses comportamentos são parte da educação e do crescimento das crianças. Os pais podem ajudar seus filhos a aprenderem a conhecer e controlar suas emoções, e mostrá-los que os demais também passam pela mesma situação. No caso de que o esforço dos pais não funcione, e que o mau humor da criança esteja influenciando negativamente nos seus estudos e suas relações, a orientação de um profissional especializado pode ser de grande colaboração. Somente um especialista no tema poderá avaliar o comportamento da criança, e descartar algum transtorno como a hiperatividade ou a depressão.

Fonte: Guia Infantil

Leave a reply